Domingo, 26 de Junho de 2022
27°

Muitas nuvens

Boa Vista - RR

Polícia CRIME SEXUAL

Polícia Federal, MPF e Funai vão investigar estupro e morte de menina Yanomami em Roraima.

A invasão dos garimpeiros apresenta um risco para as comunidades nativas, com conflitos armados e danos à saúde

27/04/2022 às 15h07
Por: Luiz Valério Fonte: Blog do Perônico
Compartilhe:
A Polícia Federal vai investigar o estupro e morte de uma menina de 12 anos, crime que teria sido cometido por garimpeiros
A Polícia Federal vai investigar o estupro e morte de uma menina de 12 anos, crime que teria sido cometido por garimpeiros

Uma delegação composta pela Polícia Federal, pela Fundação Nacional do Índio (Funai), pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi-YY), Júnior Hekurari Yanomami, embarcou de Brasília nesta quarta-feira (27) até a comunidade indígena onde uma menina de 12 anos foi supostamente estuprada e morta por garimpeiros. A missão vai apurar a denúncia dos moradores da comunidade de Aracaçá, na região de Waikás, em Roraima.

Segundo o Condisi-YY, o plano é trazer o corpo da criança até Boa Vista, para realizar a autópsia no Instituto Médico Legal (IML). Além dessa morte, outra criança, de 3 anos, caiu de um barco e sumiu no rio Uraricorea enquanto a mãe tentava salvar a menina do ataque dos invasores garimpeiros.

A população da região é de 198 indígenas, segundo o Condisi-YY. O estupro e morte da menina e o desaparecimento da outra criança foram divulgados na última segunda-feira (25/4) pelo presidente do conselho.

A região em questão foi a que mais sofreu avanços de garimpeiros, de acordo com o relatório “Yanomami sob ataque”, divulgado pela Hutukara Associação Yanomami (HAY). Segundo o documento, a destruição chegou a 296,18 hectares, 25% em um ano. A invasão dos garimpeiros apresenta um risco para as comunidades nativas, com conflitos armados e danos à saúde, e para o meio ambiente, com a degradação da floresta em função da exploração de minérios, como o ouro.

A área sofre garimpo ilegal do metal desde a decáda de 1980, mas nos últimos anos a atividade se intensificou. A Terra Indígena Yanomami é a maior reserva indígena do Brasil, com 10 milhões de hectares nos estados de Roraima e Amazonas. Estima-se que 30 mil indígenas vivam nas mais de 360 comunidades na região.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias