Terça, 25 de Janeiro de 2022
27°

Nuvens esparsas

Boa Vista - RR

Geral Pará

Hospital de Clínicas reforça sinais de alerta e cuidados com saúde mental

No local, os serviços de emergência psiquiátrica e de internação breve vêm registrando aumentos constantes, com média de 2.300 atendimentos por ano

14/01/2022 às 10h20
Por: Luiz Valério Fonte: Secom Pará
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Secom Pará
Foto: Reprodução/Secom Pará

Foto: Ricardo Amanajás / Ag. Pará
Depois de dois anos vivendo em meio a uma pandemia e dos diferentes impactos deixados por ela, a manutenção ou mesmo o equilíbrio entre um bem-estar social, físico e mental tem sido um dos principais desafios no país que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem mais de 18 milhões de brasileiros afetados pela ansiedade.

Para especialistas em saúde mental, a realidade é que a pandemia de covid-19 expôs o que já vinha sendo percebido em anos anteriores: um aumento na busca por atendimentos de emergência. Por isso, desde 2014, a campanha Janeiro Branco reserva o mês para debates sobre o tema e, principalmente, para a promoção de ações de cuidado e prevenção do adoecimento mental. 

No Pará, a Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (HC) é a unidade pública de saúde referência no atendimento psiquiátrico de média e alta complexidade. No local, os serviços de emergência psiquiátrica e de internação breve vêm registrando aumentos constantes, com média de 2.300 atendimentos por ano. 

Com base nesse cenário crescente, especialistas do Hospital de Clínicas reforçam a importância da campanha "Janeiro Branco" como momento para pensar e repensar a saúde mental, no o cuidado e no autocuidado “A primeira dica é fazer uma avaliação sobre como fatores pessoais ou sociais interferem na qualidade de vida e no cuidado com a saúde mental”, pontua Luana Fonseca, da equipe de psicologia do hospital. 

Em muitos casos, essa autoavaliação sobre cuidados com a saúde vem ao mesmo tempo das promessas de ano novo e acabam se perdendo no dia-a-dia. Para Luana, “pensar no propósito dessas mudanças e avaliar o quanto elas poderão ajudar também quem está ao redor, pode ajudar a colocar em prática o que foi planejado”, complementa a psicóloga  Luana.

Ajuda profissional é essencial 

Para quem atua na área da saúde, além do ambiente de pandemia, o cenário diário de enfrentamento a outras doenças também pode causar alterações na saúde mental. Por isso, o Hospital de Clínicas mantém, há 15 anos, um serviço de escuta terapêutica de servidores, com o objetivo de acolher e aliviar sintomas de sofrimento mental motivados por problemas no trabalho ou familiares. 

Foto: Ricardo Amanajás / Ag. Pará
Atualmente, além da escuta terapêutica, o HC mantém ainda parceria com a Universidade Federal do Pará (UFPA) para o desenvolvimento do Programa de Assistência Psicossocial ao Servidor (PAPS).

“Quando identificamos a necessidade de acompanhamento multiprofissional, sugerimos ao servidor a participação neste outro programa que fica dentro do Centro de Saúde da Universidade. A adesão é voluntária, mas os resultados que temos obtido ao longo desses anos têm nos ajudado a fornecer saúde e qualidade de vida ao servidor”, acrescentou Luana.

Por Marcelo Leite (HC)
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias