Segunda, 25 de Outubro de 2021
29°

Muitas nuvens

Boa Vista - RR

Cidades PARALISAÇÃO

Servidores da Prefeitura de Boa Vista vão parar no dia 20 de outubro

Sitram cobra 21% de reajuste salarial para todos os servidores da Capital e correções de problemas trabalhistas.

11/10/2021 às 17h43
Por: Redação Fonte: Ascom Sitram
Compartilhe:
Assembleia Geral Extraordinária
Assembleia Geral Extraordinária

No próximo dia 20 de outubro, os servidores da Prefeitura de Boa Vista vão parar. A paralisação de 24h está marcada para iniciar às 7h30 em frente ao Palácio 9 de Julho. O ato foi deliberado durante a Assembleia Geral Extraordinária realizada na sexta-feira, 8, na sede do Sitram (Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Boa Vista), entidade que representa a categoria.

Os trabalhadores cobram reajuste salarial para ativos e inativos, criação de auxílio-alimentação, reformulação dos PCCR’s (Planos de Cargos, Carreiras e Remunerações), correção de carga horária de trabalho, incorporação da GID (Gratificação de Incentivo à Docência) e contra a Reforma Administrativa (PEC 32/2020).

“Os servidores estão com o poder de compra sendo corroído. Temos estudos que comprovam essa perda salarial. Outro ponto que queremos da Prefeitura é a revisão do Plano de Cargos e Carreiras, existem servidores que têm a mesma função que outros e recebem menos. Há também trabalhadores que por força de decreto cumprem 30 horas semanais e outros, excluídos, cumprem 40 horas - é o caso dos servidores da SEMGES [Secretaria Municipal de Gestão Social] e os cuidadores”, destacou Sueli Cardozo, presidente do Sitram.

A pauta da Campanha Salarial, citada acima, foi apresentada e discutida com secretários do município, mas soluções não foram tomadas. O estudo do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) aponta que de 2016 até o momento, os trabalhadores têm 21% de perdas inflacionárias. Uma outra análise, que leva em consideração os dados divulgados pela própria PMBV, revelam que o município tem folga no orçamento para corrigir os salários.

“O prefeito tem conhecimento da nossa pauta, mas não recebe o Sindicato para discutir e buscar soluções para os principais problemas trabalhistas provocados pela própria Prefeitura”, criticou Sueli.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias