22°C 30°C
Boa Vista, RR

Hospital Ophir Loyola, referência em oncologia, faz campanha para incentivar doação de sangue

Com a maior demanda transfusional do Estado, a unidade necessita de mais de 700 transfusões mensais para atender pacientes oncológicos e com outras...

10/07/2024 às 07h16
Por: Luiz Valério Fonte: Secom Pará
Compartilhe:
Crédito: Pedro Guerreiro / Ag. Pará
Crédito: Pedro Guerreiro / Ag. Pará

Um quadro de anemia severa levou a pedagoga Ana Paula Soares, 45 anos, a receber bolsa de sangue em um hospital do município de Belém. Apesar da suspeita, não foi possível fechar o diagnóstico. O quadro se agravou, e ela foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Até há pouco tempo, Ana Paula nem imaginava o quanto a doação de sangue faz a diferença para uma pessoa doente. Ao receber a confirmação de Leucemia Linfoide Aguda (LLA) no Hospital Ophir Loyola, e precisar se afastar após 22 anos das atividades relacionadas à educação infantil, sua realidade mudou.

“Fiquei cinco dias sem receber bolsa de sangue no primeiro hospital; o estoque estava baixo. A situação agravou e recebi cuidados intensivos. Tive a ideia de fazer uma campanha com minha fotografia, e postei nas redes sociais. Aquela publicação se espalhou, e eu ainda estava recebendo doações até a semana passada. Mas, somente aqui, no HOL, percebi o quanto é importante a doação de sangue. Significa vida. Só damos valor quando passamos por uma situação como essa”, contou a paciente. Doação de sangue é essencial para salvar vidas

A situação da pedagoga é muito comum no “Ophir Loyola” em razão da complexidade dos procedimentos cirúrgicos e do perfil assistencial da instituição, referência no tratamento de doenças hematológicas malignas e outros tipos de câncer. A unidade hospitalar possui a maior demanda transfusional do Pará, com mais de 700 transfusões mensais. A necessidade de sangue e hemocomponentes é constante para assistir pacientes internados, em tratamento quimioterápico cirúrgico ou ambulatorial.

Doação é vida- A experiência desafiadora transformou Ana Paula em defensora da causa. A campanha feita para ajudá-la acabou beneficiando outras pessoas. Depois de um mês internada na clínica de hematologia do Hospital Ophir Loyola, a alta médica ocorreu na segunda-feira (08). “Nesse período, recebi mais de 20 concentrados de plaquetas e hemácias. Contudo, ficava feliz quando informavam que tinha bolsa chegando. Doe sangue, a doação é vida. Cada gota é muito importante. É uma vida que está sendo renovada. Cheguei a ter somente 3 mil plaquetas. Mas minhas forças aumentavam a cada bolsa recebida”, contou.

O oncohematologista do HOL Thiago Carneiro esclareceu que diferentes doenças podem afetar o sangue, de forma temporária e reversível. Porém, se o paciente não conseguir produzir esse tecido conjuntivo em quantidade suficiente, uma transfusão é indicada. “Usamos o sangue de outra pessoa compatível com o tipo sanguíneo do paciente para reverter aquela condição clínica e estabilizá-lo. Isso é muito comum em grandes cirurgias e em tratamentos oncológicos”, explicou o médico.

“Um dos principais tratamentos realizados para combater cânceres hematológicos (leucemias, linfomas e mielomas múltiplos) é a quimioterapia. Entretanto, a intervenção afeta a contagem sanguínea e ocasiona a demanda por transfusão. Todos os dias precisamos de concentrados de hemácias, plaquetas ou plasma. Sem essas transfusões, os pacientes não conseguem ter sucesso em seus tratamentos e recuperar a saúde”, informou o especialista. Referência em tratamento oncológico, o Hospital Ophir Loyola tem alta demanda por hemocomponentes e hemoderivados de sangue

Parcerias para manter o estoque- Segundo o Ministério da Saúde, o ideal seria que 3% da população doasse sangue regularmente. Mas somente 2% da população paraense são voluntários. As campanhas de captação de doadores, realizadas em parceria com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), buscam garantir que insumos (hemocomponentes e hemoderivados) não faltem para quem tanto necessita, ressaltou a assistente social Marcela Silva, da Gerência de Captação de Doadores (Gecad), da Fundação Hemopa.

“Em períodos como julho, muitos saem de férias e isso afeta diretamente as doações. A cada dia, o Hemopa recebe cerca de 150 requisições. Precisamos fazer um trabalho diário de mobilização de parceiros e de toda a população em prol da solidariedade. Portanto, as parcerias com os hospitais nos ajudam a abastecer o nosso estoque e dar continuidade ao atendimento dos pacientes em todo o Estado do Pará”, informou.

Laiza Carvalho doou pela primeira vez. Apesar de sempre ter vontade de doar, ela esperava um momento oportuno. O incentivo especial foi comparecer à campanha em frente ao HOL. “Minha mãe passou por cirurgia e quase veio a óbito por falta de sangue. Porém, recebeu doação a tempo e conseguiu passar pelo procedimento. Hoje, estava de passagem aqui perto, vi o ônibus e senti o desejo de doar”, contou Laiza.

A campanha em frente ao Hospital Ophir Loyola, na Avenida Magalhães Barata, prossegue até esta quarta-feira (10), das 8h às 17h, com a unidade móvel do hemocentro em frente à instituição. Os interessados podem fazer o cadastro de doadores de medula óssea, outro gesto essencial para salva vidas.

Para doar sangue é necessário:

- Apresentar um documento de identidade oficial com foto (RG, carteira nacional de habilitação - CNH, carteira de trabalho e passaporte). Alguns documentos digitais oficiais também são aceitos;

- Ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos precisam estar acompanhados de responsável legal);

- Ter mais de 50 quilos;

- Estar bem alimentado (não pode estar em jejum);

- Dormir pelo menos 6 horas nas 24 horas anteriores à doação;

- Não ingerir bebida alcoólica 12h horas antes da doação;

- Manter intervalo entre doações de dois meses para homens e três meses para mulheres;

- Quem se vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue, sendo necessário um intervalo de dois dias após cada dose para quem recebeu a vacina Coronavac, e sete dias para quem recebeu as demais vacinas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Boa Vista, RR
25°
Parcialmente nublado

Mín. 22° Máx. 30°

26° Sensação
2.57km/h Vento
83% Umidade
100% (3.7mm) Chance de chuva
07h00 Nascer do sol
07h16 Pôr do sol
Ter 23° 21°
Qua 30° 21°
Qui 27° 22°
Sex 30° 23°
Sáb 31° 23°
Atualizado às 22h19
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,45 +0,06%
Euro
R$ 5,94 +0,06%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,09%
Bitcoin
R$ 373,511,80 +1,72%
Ibovespa
129,320,96 pts 0.33%
Publicidade
Lenium - Criar site de notícias